Circuitos e séries: conheça as diferenças e saiba por qual optar

Independentemente do estilo, acompanhamento profissional é fundamental

Treino do seu jeito 3 min. de leitura
Circuitos e séries: conheça as diferenças e saiba por qual optar

Na hora de organizar o treino na academia, costuma surgir uma dúvida: é mais interessante fazer os exercícios em série ou por circuito? Um deles é melhor ou depende do objetivo de quem treina?

Além das preferências pessoais, já que você pode achar a série bacana para observar os movimentos com mais precisão ou gostar do circuito por fugir da repetição, existem indicações de acordo com os objetivos esperados. É por isso que é fundamental ter o acompanhamento de profissionais de educação física, que sabem orientar o treino de acordo com o perfil de quem malha.

Para compreender melhor as características de cada modalidade, o Blog da Selfit conversou com a educadora física Juciele Bezerra de Sá (CREF 010628-G/PE), que trabalha na unidade da Selfit Rosa e Silva, em Recife (PE).

Séries

Séries são mais indicadas para quem deseja definição muscular. (Fonte: Shutterstock)
Séries são mais indicadas para quem deseja definição muscular. (Fonte: Shutterstock)

Segundo Sá, as séries costumam ser prescritas para quem deseja hipertrofia muscular, já que permitem definição e aumento de força. Essa forma de organização corresponde àquela em que as repetições de cada exercício ficam concentradas com pequenas pausas entre si. Enfatizam-se as pausas e ordens de exercícios nesses casos, e o profissional de educação física organiza a atividade de acordo com os músculos a serem trabalhados. Além disso, as séries permitem que se observe com mais cuidado os movimentos, o que é muito importante para quem deseja definir a massa muscular.

Circuito

Circuitos permitem queima calórica eficiente sem abandonar fortalecimento muscular. (Fonte: Shutterstock)
Circuitos permitem queima calórica eficiente sem abandonar fortalecimento muscular. (Fonte: Shutterstock)

Já os circuitos são especialmente indicados para quem deseja emagrecimento e melhora da resistência cardiorrespiratória. Nesse caso, em vez de concentrar os mesmos exercícios juntos, espaçam-se as atividades, que são cumpridas alternadamente. Segundo a educadora física, isso faz que se aumente o gasto energético mesmo em repouso, após o treino.

Pode-se ou não adotar descansos entre as atividades, o que, ao exigir resposta dos músculos quando fadigados, ajuda a fortalecê-los e tornar o exercício mais completo. É por isso que esse método é muito usado, pois em uma rotina atribulada em que há pouco tempo para exercícios os circuitos permitem fortalecimento muscular e gasto calórico com menor tempo de treino.

Cuidados

Orientação profissional é importante ao optar por uma das estratégias de treino. (Fonte: Shutterstock)
Orientação profissional é importante ao optar por uma das estratégias de treino. (Fonte: Shutterstock)

Em ambos os casos, vale sempre a dica de ouro: é fundamental que um profissional prescreva o treino para que seja adequado à realidade. Assim, metabolismo, condicionamento físico, objetivos pessoais e estrutura corporal serão considerados da maneira correta. “Em ambos os métodos de treino, é essencial uma periodização que abranja todo o planejamento e o contexto para chegar ao objetivo”, relata Sá.

Em séries ou circuitos, esse cuidado ajuda a evitar lesões e fazer que o treino cumpra seu objetivo, que pode ir desde perder peso e ganhar massa muscular até simplesmente fugir do sedentarismo para ganhar bem-estar e qualidade de vida.

Conhece alguém que sempre teve dúvida se deve fazer circuito ou série? Compartilhe este texto.