Aprender brincando: exercícios físicos na quarentena

Crianças dentro de casa necessitam de atividades físicas para evitar estresse e ansiedade

Treino do seu jeito 4 min. de leitura
Aprender brincando: exercícios físicos na quarentena

Com as escolas em todo o país fechadas e sem previsão de retorno, mães e pais têm encarado desafios inéditos. O quadro de incertezas, dividido entre a necessidade de manter o distanciamento social e trabalhar em casa, recebe um desafio extra: como manter as crianças entretidas e fisicamente ativas?

Sem aulas de Educação Física, impossibilitadas de ir ao futebol, balé ou natação e afastadas dos playgrounds dos prédios, as crianças têm o nível de atividade física reduzido a zero. A tentação óbvia é entregar um tablet ou celular na mão de cada uma e deixá-las navegar à vontade, solução que, além do perigo da exposição a conteúdos inadequados, pode levar a aumento do estresse.

Considerando a idade das crianças e que os espaços disponíveis em casa geralmente não são muito amplos, a melhor forma de restabelecer as atividades físicas sem parecer que sejam imposições dos pais é com brincadeiras, momentos em que os pequenos se exercitam, elaboram sua autonomia e organizam suas emoções.

Preparando o circuito

menino correndo pela casa
(Fonte: Giphy)

Pais e mães devem liderar os exercícios físicos, dando exemplos, participando e se mantendo a atividade durante o processo. O primeiro passo é preparar um espaço seguro para brincar, retirando móveis e instalações que possam representar algum tipo de perigo para os “aprendizes”.

O segundo passo é escolher atividades que sejam apropriadas. A Selfit disponibilizou em seu site uma série de exercícios do tipo “treine em família”, para serem praticados em casa. A educação física das crianças não pode ser impositiva nem excessivamente competitiva; o ideal é que seja divertida, nem muito fácil nem muito difícil.

Outra recomendação é que os pequenos participem da arrumação do ambiente e possam interagir livremente, ou seja, subir nos sofás e nas cadeiras, pular, dançar, saltar e se alongar. Isso porque o desenvolvimento funcional do corpo melhora a coordenação motora, a orientação espacial, o equilíbrio e a organização temporal.

Confira algumas brincadeiras e exercícios para praticar.

Corrida do Saci

Serve como exercício de aquecimento e trabalha coordenação motora, equilíbrio e velocidade. Define-se um ponto de partida e outro de chegada. Em fila, todos devem segurar uma das pernas flexionada para trás e, quando for dada a largada, sair pulando até a linha de chegada. Quem colocar os dois pés no chão é eliminado ou paga uma prenda.

Cordas

personagens desenho animado pulando corda
(Fonte: Giphy)

Como na maioria das casas e dos apartamentos não é possível esticar uma corda muito comprida, pode-se usar uma corda simples de pular. O objetivo é desenvolver a coordenação motora e melhorar o equilíbrio, a lateralidade, o tônus muscular e a orientação espacial.

A princípio, o desafio é pular a corda sem tropeçar. Depois, a corda é esticada no chão e a criança anda descalça sobre ela, com os braços abertos, procurando manter o equilíbrio —em seguida, deve voltar ao início, porém de costas.

Morto-vivo

Uma das brincadeiras infantis mais tradicionais, morto-vivo pode ser de grande valia para o desenvolvimento de crianças a partir de 5 anos de idade, pois estimula atenção, agilidade, coordenação motora, concentração, condicionamento físico e expressão corporal. A cada rodada, um participante é escolhido como líder e dá as instruções a serem seguidas.

Quando o líder disser “Morto!”, todos devem se agachar; quando disser “Vivo!”, todos têm que dar um pulinho e ficar em pé. Quem errar o comando é eliminado até restar apenas um participante, que será o vencedor e próximo líder.

Jacaré

O jogo do jacaré estimula coordenação motora, orientação espacial e equilíbrio. Algumas “ilhas” ou “navios” são espalhados pelo chão, usando almofadas, bichos de pelúcia ou livros. As crianças devem pular de um objeto para outro, sem cair “na água” e ser devoradas pelo faminto jacaré. O réptil, que deve ficar deitado no chão com a barriga para baixo, pode ser o pai ou a mãe, embora filhotes possam ser admitidos.

Essas atividades são sugestões para incentivar as crianças a praticar exercícios físicos e devem ser apresentadas como brincadeiras, mas servem para descarregar a energia e ativar a consciência corporal.

Pratique com seus filhos, sobrinhos e irmãos. Compartilhe este post e registre suas experiências.

Fontes: Olhar Digital, Blog Educação Física e Tempo Junto.