Agachamento: saiba como evitar lesões

Exercício produz uma série de benefícios, mas deve ser feito com orientação profissional para evitar lesões

Treino do seu jeito 5 min. de leitura
Agachamento: saiba como evitar lesões

Durante os exercícios físicos, um pouco de incômodo e até mesmo de dor podem ser sinais normais: seu corpo está fazendo movimentos e estimulando a musculatura em uma intensidade incomum. Mas é preciso ficar atento para não se lesionar nesse processo.

Essa é uma preocupação que se aplica ao agachamento, principalmente porque o exercício não exige equipamentos, deixando a execução livre, o que dá mais espaço para erros e, consequentemente, lesões. No entanto, a atividade é simples, pode queimar calorias e trabalhar diversas regiões musculares ao mesmo tempo.

A Selfit convidou a Juciele Bezerra de Sá (CREF 010628-G/PE), supervisora da Unidade Rosa e Silva, na capital pernambucana, para falar sobre os principais benefícios do agachamento e de que forma evitar os erros mais comuns em quem começa esse exercício. 

Juciele trabalha na sede da Selfit que fica no Bairro dos Aflitos, em Recife.
Juciele é bacharel em Educação Física e trabalha na sede da Selfit localizada no Bairro dos Aflitos, em Recife.

Benefícios

Segundo a profissional, o agachamento possui uma série de benefícios. O primeiro deles é ser um exercício com grande gasto calórico: por exigir controle sobre o corpo — ele envolve o quadríceps, os músculos posteriores das coxas e os glúteos —, consome muitas calorias. Não à toa, o aumento da resistência física é significativo.

Além disso, por fortalecer essas regiões, ele diminui o risco de lesões quando bem executado. Os músculos abdominais, lombares e pélvicos saem ganhando, e há menos chances de que esse e outros movimentos que demandam essa musculatura venham a sofrer com problemas. Outros benefícios se referem ao equilíbrio, à coordenação motora e à postura. 

Cuidados

Fazer o exercício sob supervisão de um profissional é fundamental para que não ocorra nenhuma forma de lesão. (Fonte: Shutterstock)

Como em qualquer exercício físico, nada de ir “com muita sede ao pote”. Respeitar o tempo do seu corpo é a regra de ouro para que a atividade seja uma fonte de promoção à saúde e não cause nenhuma lesão.

Isso é importante porque, com os cuidados corretos, não há contraindicação à prática do agachamento. 

Porém, a educadora física adverte que é importante, além disso, garantir que os movimentos sejam corretos. Respeitar a curvatura da coluna vertebral e a abertura correta dos joelhos são exemplos de como evitar lesões, que podem afetar sobretudo o quadril, os joelhos, os tornozelos e a coluna vertebral. 

Por isso, ter um profissional orientando a prática física correta é fundamental. Um educador físico estará preparado para auxiliar na execução, ensinando a forma mais adequada dos movimentos e ajustando a carga do exercício à capacidade do indivíduo.

Orientações

Com alguns cuidados simples, pode-se ter no agachamento um ótimo aliado para a queima de calorias e fortalecimento muscular. (Fonte: Shutterstock)

Mas, afinal, quais são os erros mais comuns que causam lesões? Como não sobrecarregar o joelho e a região lombar? 

Confira aqui algumas dicas para evitar os erros mais comuns no desenvolvimento desse exercício.

1. A cada região, seu movimento

A maior parte das pessoas não tem um corpo plenamente condicionado. Por isso, é comum que, ao sentir dificuldade durante o exercício, compense o movimento de uma região com outra musculatura, mas isso pode trazer problemas.

Se o movimento que deve ocorrer em uma região acaba sendo transferido para outra, a tendência de gerar lesão é alta. Esse é um exemplo de que a dor ao se exercitar nem sempre é benéfica.

2. O bom e velho alongamento

Quando a musculatura de uma região não está “em dia”, é comum que haja encurtamento. Por isso, uma boa sugestão é apostar no alongamento.

Novamente, a supervisão profissional é necessária. O educador físico saberá diagnosticar qual é o problema e quais exercícios contribuem para o desenvolvimento da região encurtada. 

3. Qual é o seu objetivo?

Uma terceira sugestão se refere ao objetivo do exercício. Isso porque nem todas as pessoas desejam ter uma musculatura digna de um halterofilista. Se o seu objetivo for garantir as atividades do cotidiano com flexibilidade (o agachamento está entre os exercícios que mais se encaixam nessa demanda), tudo bem!

Por isso, nada de copiar o treino de um amigo ou amiga. O profissional de Educação Física saberá prescrever orientações customizadas para o seu caso, seja em relação à estrutura corporal ou aos benefícios que você espera do exercício.

Conhece alguém que vive reclamando de dor após o agachamento? Compartilhe este conteúdo. No app da Selfit (disponível para Android e iOS), você encontra variações de agachamento orientadas por profissionais.