Quarentena: exercícios físicos para equilibrar a saúde mental

Isolamento social não precisa ser um momento de solidão e estresse. Que tal se exercitar?

Motivacional 4 min. de leitura
Quarentena: exercícios físicos para equilibrar a saúde mental

A estratégia para reduzir o número de pessoas infectadas pelo novo coronavírus tem sido o isolamento ou distanciamento físico; por isso, muitas empresas têm optado pelo home office, e escolas oferecem aulas à distância. A recomendação é que sejam evitadas aglomerações e que as saídas à rua sejam restritas a casos de necessidade, como ir ao mercado ou à farmácia. Isso tudo acende um alerta para a manutenção da saúde mental da população.

Algumas pessoas, talvez a maioria, estão acostumadas com a rotina agitada do mundo moderno e, submetidas à restrição de acessos e mobilidade, sentem-se desconfortáveis, ansiosas e inseguras. Isso é particularmente preocupante para o Brasil, tido pela Organização Mundial de Saúde (OMS) como país líder no número de pessoas com ansiedade — cerca de 10% da população sofrem com o distúrbio. 

Para manter a saúde mental, uma das recomendações do diretor da OMS, Tedros Adhanom, é ter uma rotina de exercícios. “Neste momento difícil, é importante fazer exercícios físicos; no caso dos adultos, por 30 minutos e das crianças, 1 hora por dia”, alertou em uma coletiva de imprensa. 

O problema é: como fazer atividade física sem poder ir à academia ou sair de casa em espaços públicos? A primeira dica é estabelecer uma rotina. Comece reservando dois ou três dias por semana, em determinado horário, para praticar exercícios em casa. 

Isso já é suficiente para sair do sedentarismo, manter o condicionamento e aliviar a angústia do isolamento. A Selfit está disponibilizando no site mais de cem exercícios para manter o seu treino em dia, outra possibilidade é acessar o app, que abriga mais de 240 exercícios para serem feitos em casa.

Atividade física vs. ansiedade

personagem desenho roendo as unhas
(Fonte: Giphy)

A atividade física comprovadamente reduz a ansiedade, o estresse e a depressão, podendo ser utilizada como um complemento da manutenção da saúde mental. Além disso, a prática regular de exercícios melhora o funcionamento do nosso sistema imunológico e diminui o risco de inflamações, o que é vital em tempos de pandemia.

Você deve buscar diferentes formas de se exercitar, como danças ou opções aeróbicas. Seja o que for, tente tornar a atividade física um momento agradável e reconfortante da sua rotina em casa. Convide outros membros da família que morem com você para participar e tenham em mente que vocês estão contribuindo para o bem coletivo.

Não há limites para a criatividade. É possível utilizar o tapete da sala de estar como colchonete; sacos de açúcar e garrafas PET como halteres; um sofá velho ou uma escada para step-ups; e um puff para climbers. Isso sem contar que há muitos exercícios que dispensam o uso de equipamentos: agachamentos, burpees, abdominais, flexões e prancha.

Se você está trabalhando em home office, agendar o início da atividade física pode servir para marcar o horário de “saída do trabalho” e o início da sua vida pessoal.

Duas pessoas fazendo atividade física
(Fonte: Selfit)

Mantendo-se saudável

A forma mais eficaz de combater qualquer doença é manter-se saudável e em atividade. Funções rotineiras como faxinar, cuidar de plantas e animais e outras tarefas domésticas já ajudam a manter o corpo em movimento e podem reduzir o risco de doenças, bem como melhorar o seu bem-estar geral.

Exercitar-se em casa fomenta o contato afetivo com outras pessoas também, ainda que limitado à própria família. É uma oportunidade para descobrir novos prazeres que normalmente não percebemos.

Além do comprometimento com a atividade física, é fundamental se alimentar de forma saudável para ajudar o sistema imunológico a funcionar, dormir bem, limitar o consumo de bebidas alcoólicas e se hidratar corretamente. 

Em tempos de coronavírus, é obrigação de todos nós buscarmos uma vida melhor. Significa ter a consciência de que estamos isolados, mas não sozinhos. Trabalhar mente e corpo é se fortalecer diante desse grande desafio.

Compartilhe esse convite à vida com seus amigos e comente as suas experiências pessoais. Que tal marcar de assistirem às aulas da Selfit em sintonia? 

Fonte: Revista Cresce, Time e Consumidor Moderno.