Como ter mais equilíbrio em 2021?

Confira 3 dicas para ter um ano mais equilibrado e saudável

Motivacional 4 min. de leitura
Como ter mais equilíbrio em 2021?

Em razão da pandemia da covid-19, 2020 foi extremamente atípico e certamente entrou para os livros de história como um dos períodos mais desafiadores da atualidade. Houve cerca de 200 mil mortes apenas no Brasil, além de desemprego, necessidade de confinamento e interrupção de aulas.

É compreensível, portanto, que a saúde física e mental tenham sido profundamente afetadas e que manter o equilíbrio em meio a tantas incertezas seja difícil.

Para saber como ter um 2021 mais harmonioso, a Selfit conversou com a educadora física Gabrielli Paes de Moraes (CREF 128917-G/SP), professora da unidade Santa Rosália. Confira dicas super especiais para passar o ano bem.

1. Reconheça que 2020 foi causador de ansiedade

O isolamento social é um desafio para a saúde física e mental. (Fonte: Engagestock/Shutterstock) 

Reconhecer o impacto psíquico do período de pandemia é o primeiro passo. Insegurança, incerteza e ansiedade se tornaram sentimentos mais comuns desde o início da covid-19 e é importante entender que não se trata de um problema pessoal.

Para a educadora, a necessidade de quarentena fez muitas pessoas interromperem o hábito de se exercitar, prejudicando o bem-estar típico do movimento. “Os exercícios liberam hormônios como a endorfina durante e após o treino, gerando sensação de felicidade e de dever cumprido. Sem isso, parece que está faltando alguma coisa”, relata. 

Outro fenômeno que se agravou com a pandemia foi a qualidade do sono. Preocupações e falta de gasto de energia durante o dia influenciaram diretamente o aumento dos quadros de insônia.

2. Volte a fazer exercícios físicos com regularidade

Pode-se fazer exercícios físicos neste ano, desde que se redobrem os cuidados sanitários. (Fonte: Drazen Zigic/Shutterstock)

Tomando os devidos cuidados, é importante voltar a se movimentar. Moraes comenta que, durante o treino, o corpo humano precisa fazer “reajustes” fisiológicos benéficos à circulação, ao sistema respiratório, à musculatura e ao sistema imunológico. A estética também entra nesse pacote de benefícios trazidos pelos exercícios, afinal, ela é algo importante para a saúde mental.

É em nome da saúde mental também que se deve conciliar na rotina exercícios que tragam prazer. “Sempre tem aquela atividade de que a gente gosta mais, em que sente mais prazer. Não deixe de fazer esses exercícios”, sugere a profissional.

Com mais gasto de energia, a qualidade do sono tende a melhorar; é possível até que pessoas com ansiedade e depressão reduzam a quantidade de medicação ou deixem os comprimidos no passado, uma vez que o ganho metabólico produz bem-estar, tranquilidade e satisfação.

Para a educadora física, os adeptos de exercícios de alta intensidade podem optar por musculação, hiit, funcional e aulas aeróbicas. Já quem busca atividades que estimulem corpo e mente pode apostar em pilates, yoga, meditação e alongamento. 

Essas últimas práticas, mesmo que não tenham o mesmo gasto energético, são capazes de melhorar significativamente a qualidade de vida. “A meditação, por exemplo, melhora a concentração e evita que a pessoa se ‘perca’ em seus pensamentos. Além disso, auxilia na respiração, oxigenando mais o cérebro e desenvolvendo a capacidade pulmonar e de circulação”, comenta Moraes.

3. Promova algumas mudanças de hábito

Melhorar os hábitos alimentares é primordial para o equilíbrio. (Fonte: Chumplearn/Shutterstock)

Além de se exercitar e cuidar do sono, há outros hábitos que fazem a diferença na qualidade de vida. Um deles se refere a cuidados com o consumo de bebidas alcoólicas, cigarro e outras drogas, como esteroides anabolizantes. “Todos sabemos os males e riscos à saúde que trazem, até mesmo em pequenas quantidades, diminuindo o bem-estar e até mesmo a expectativa de vida”, pontua a educadora.

Outro hábito que merece atenção é o alimentar: sem poder sair de casa, a pandemia levou muitas pessoas a descontar a ansiedade na comida, sobretudo em alimentos de má qualidade, como fast food e doces. Isso é preocupante porque retroalimenta o quadro de ansiedade.

A soma de pequenos atos pode gerar uma melhora surpreendente na qualidade de vida. Voltar a fazer exercícios físicos, respeitar seu próprio ritmo e sua capacidade, ter uma alimentação balanceada e reservar um momento para introspecção (como na meditação) é uma boa fórmula para criar outra atmosfera neste ano.

Quer uma última dica? Tenha uma agenda para organizar seu dia e garantir que os exercícios físicos tenham prioridade. Pequenas mudanças podem tornar seu cotidiano mais feliz.