Como cuidar da saúde física e mental durante o isolamento social

Medidas simples podem aprimorar o bem-estar e promover qualidade de vida nesse período

Motivacional 5 min. de leitura
Como cuidar da saúde física e mental durante o isolamento social

O isolamento social é a principal medida de enfrentamento à covid-19. Porém, os efeitos da quarentena podem ser difíceis. Além do impacto na economia, a saúde física e a mental podem ser bastante afetadas com a mudança na rotina, sobretudo porque o isolamento exige conciliar diferentes demandas das vidas pessoal e profissional.

Confira aqui algumas dicas de como aprimorar a saúde, o bem-estar e a qualidade de vida nesse período.

Exercite-se!

homem fazendo abdominal em casa
(Fonte: Giphy)

A quarentena pede que nós não circulemos. Todavia, isso não quer dizer que devemos ficar parados. Em vez disso, é necessário pensar em quais são as formas de se exercitar que cabem na nossa nova rotina, considerando tempo, espaço físico, recursos e, claro, preferência pessoal. Afinal, o melhor exercício físico é aquele que não fica só na agenda, não é mesmo?

Há uma série de exercícios possíveis em casa, como pular corda, polichinelos e abdominais. Outra opção bacana é dançar: dar ritmo ao corpo pode ser muito mais divertido se você fizer isso ao som de uma música de seu gosto. O importante é sair do sedentarismo e ter prazer nisso.

No entanto, não se esqueça de observar os limites do seu corpo — nada de dar “um passo maior do que a perna!”. Por isso, vale a pena conferir no site da Selfit programas de exercícios que sejam prescritos por profissionais da Educação Física e o app exclusivo para alunos, que tem treinos e desafios diários preparados pelos profissionais. Mais importante que a intensidade, é a qualidade da execução do exercício: ele fará bem se permitir a você que se movimente sem risco de lesões e proporcionando bem-estar.

Autoconhecimento

mulher comemorando
(Fonte: Giphy)

Se estar em movimento é fundamental para a saúde física, o mesmo vale para a mental.

Mais do que ficar em casa, a quarentena faz com que fiquemos mais “sozinhos”, ou seja, tenhamos mais espaço para perceber nossas questões individuais. Em grande medida, isso explica por que agora aparecem sintomas de depressão e ansiedade que até então o movimento da rotina comum tornava menos evidentes. Uma boa alternativa para amenizá-los é aproveitar este momento para “se escutar” um pouco mais e perceber quais são os fatores que afetam seu equilíbrio mental e físico. 

Um diário pode ser uma boa forma de registrar os sentimentos nesse período: sempre que você se sentir instável, procure verificar quais são as possíveis razões disso. Por exemplo, se você perceber que a ansiedade tem sido muito comum, procure perceber quais são os elementos ansiogênicos: você pode estar abusando de bebidas estimulantes, como chá ou café, ou ainda estar lendo notícias sobre a pandemia de forma obsessiva, para além do propósito de se informar.

Outra sugestão interessante é a prática da meditação. Ela costuma abrir espaço em meio à correria e ao barulho do cotidianos para que melhoremos nossa conexão com o que sentimos e pensamos.

Entretanto, caso você não esteja conseguindo dar conta de perceber os motivos que tornam você ansioso ou deprimido, considere buscar apoio profissional. Psicólogos e, alguns casos, psiquiatras muitas vezes são fundamentais para organizar nosso campo psicológico, que é imprescindível na saúde física e na mental.

Inclua você na sua agenda

mulher marcando data no calendário
(Fonte: Giphy)

Em meio à rotina comum, respeitamos os horários de entrada e saída no trabalho. Além disso, quando temos um problema profissional, costumamos testar diferentes soluções até encontrar uma saída satisfatória, não é mesmo? Precisamos ter esse mesmo comprometimento na vida pessoal.

Estar com o corpo e a mente saudáveis é ter qualidade de vida e previne uma série de doenças físicas e mentais. Por isso, nosso bem-estar não deve ser visto como um luxo, algo secundário. Ele é fundamental até mesmo para as demais áreas da vida: para que possamos manter nossos compromissos no trabalho ou cuidar das pessoas que amamos, ter saúde é uma condição.

Experimente

simulando bicicleta
(Fonte: Giphy)

Se você tem dificuldade em priorizar as atividades físicas e mentais que fazem diferença na sua saúde, provavelmente ainda não encontrou uma atividade que trouxe prazer. Esse casamento entre “o útil e o agradável” é fundamental para que essa rotina se efetive e, com o tempo, se torne um hábito tão comum quanto os demais, como trabalhar, tomar banho ou se alimentar.

Nesse caso, experimente novas possibilidades. Se você gosta de pedalar, uma bicicleta ergométrica pode ser uma ótima forma de conciliar o isolamento com essa atividade. O mesmo vale para esteiras, se correr for uma opção que tire você da zona de conforto. 

Além disso, considere práticas que incluam as pessoas que estão em isolamento com você. Vale a pena fazer da garagem um espaço para o tênis de mesa ou montar uma cesta de basquete no quintal. O importante é ter na atividade física uma aliada para aprimorar a saúde física e a mental nesse período.

Conhece alguém que está com dificuldade de se manter saudável? Então compartilhe este texto. 

Gostou do assunto? Que tal compartilhar com seus amigos?