5 dicas para se manter ativo e afastar a ansiedade na quarentena

Se você é uma pessoa cheia de energia, saiba como manter a qualidade de vida e não deixar o comodismo e a angústia chegarem perto na quarentena

Motivacional 5 min. de leitura
5 dicas para se manter ativo e afastar a ansiedade na quarentena

O dia a dia costuma ser intenso: trabalho, faculdade, academia, escola das crianças, organização da casa e, às vezes, aquela saída com amigos ou almoço de domingo na casa de familiares. Por isso, a quarentena no período de combate à covid-19 pode ser desafiadora do ponto de vista psicológico: depressão e ansiedade são algumas das possíveis consequências dessa “parada brusca”, caso não prestemos atenção em nossa saúde mental e deixemos a angústia ganhar volume.

A rotina é um fator importante para compreendermos por que essa mudança costuma nos impactar. Em dias comuns, temos uma organização prévia das atividades e das demandas que devemos resolver, sabemos quais são os nossos dias mais estressantes e como superá-los, já que os fluxos estabelecidos auxiliam do ponto de vista objetivo e subjetivo.

Além disso, durante o período regular, o fato de termos mais gente à nossa volta no trabalho ou na faculdade permite que sintamos menos solidão. Seja para partilhar os problemas, seja para ter uma ajuda em alguma tarefa mais difícil, ter a companhia de pessoas envolvidas em desafios semelhantes faz toda a diferença.

O quadro do isolamento social pode se tornar mais estressante também porque é frequente que somemos demandas dos espaços público e privado. Em home office, pode haver cobranças por resultados similares aos de períodos comuns ao mesmo tempo que precisamos cuidar das crianças e cozinhar, por exemplo.

E há, é claro, a insegurança que a própria pandemia gera, sobretudo porque há dezenas de milhares de mortos no mundo e a doença avança mais rápido do que o conhecimento que temos disponível sobre ela, impedindo que já exista uma vacina específica.

Daí porque sintomas de estresse pós-traumático, confusão e raiva estão mais favoráveis no período de isolamento. Segundo estudo publicado por pesquisadores do Departamento de Medicina Psicológica do King’s College de Londres, a alta duração da quarentena, o medo de infecção, a frustração, o tédio, as informações inadequadas, a perda financeira e o estigma causam problemas psicológicos que, se não observados, podem ser duradouros e se converter em quadros depressivos ou transtornos de ansiedade.

A boa notícia é que há medidas simples que auxiliam a promoção da saúde mental, e cuidar do corpo tem um papel fundamental nesse quesito. Veja algumas dicas que podem ajudar a passar por esse período difícil com mais bem-estar e qualidade de vida.

1. Movimento

personagem desenho animado fazendo várias atividades
(Fonte: Giphy)

A Organização Mundial da Saúde (OMS) recomenda que façamos, por semana, no mínimo 150 minutos de atividade física moderada ou 75 minutos de exercícios mais intensos — e quem puder conciliar ambos sai ganhando.

A receita básica de treinos continua válida no período de quarentena. Um pouco de criatividade para adaptar isso à sua realidade fará toda a diferença: você pode usar o quintal como espaço para se exercitar ou usar as escadas do seu prédio. O importante é deixar o sedentarismo fora de casa.

2. Cuidados básicos

desenho mulher se exercitando
(Fonte: Giphy)

Sempre que começamos um novo exercício físico, mesmo caminhadas, prestamos atenção em como está nosso condicionamento físico. Agora a preocupação se aplica mais uma vez: exercitar-se é importante, mas não deixe de escutar o seu corpo. Se você perdeu condicionamento, está com alguma dor muscular ou sente uma articulação incomodando, não ultrapasse o limite. Respeite o seu corpo e só faça treinos preparados por profissionais. No site da Selfit, você encontra dezenas de videoaulas preparadas por especialistas, além disso, os alunos podem ter acesso a um app com treinos exclusivos e desafios diários.

3. Sono

cachorro pegando cobertor
(Fonte: Giphy)

Aposte na velha máxima de que uma boa noite de sono é restauradora, sobretudo porque, em casa, abrimos mão de outras formas de lazer que costumam acompanhar a nossa rotina. Cuidar do sono é uma boa forma de manter o corpo e a mente em ótimas condições. Não abusar do café e das telas que provocam o nosso cérebro (celular, tablet, TV), principalmente no período noturno, também auxilia o repouso necessário.

4. Boa alimentação

cortando verdura
(Fonte: Giphy)

Muitas vezes, a correria não permite que cuidemos da nossa alimentação como gostaríamos, não é mesmo? O período de quarentena pode ser uma boa oportunidade de termos refeições mais equilibradas e comermos menos produtos industrializados. Vale a pena cozinhar mais, ainda mais se essa atividade for prazerosa para você, e congelar os alimentos que permitem essa medida, para que durem mais.

5. Sala: de dança

mulher dançando de pijama
(Fonte: Giphy)

Quem dança seus males espanta, inclusive as doenças. O hipotálamo, parte do cérebro importante para a qualidade do sistema imunológico, é bastante sensível ao estresse, e dançar tem um efeito positivo sobre ele, além de queimar calorias e caber em ambientes pequenos. Uma boa dica é procurar na internet as coreografias das suas músicas preferidas e reproduzi-las. Então arraste os móveis e se divirta.

Conhece alguém que precisa de dicas para manter a rotina agitada mesmo dentro de casa? Compartilhe este texto.

Gostou do assunto? Que tal compartilhar com seus amigos?