Mito ou verdade: pular corda emagrece?

Pular corda colabora com o emagrecimento, mas alguns cuidados são necessários

Mito ou verdade? 4 min. de leitura
Mito ou verdade: pular corda emagrece?

A pandemia pegou todo mundo de surpresa em 2020 e jogou um balde de água fria em quem desejava frequentar a academia com mais frequência, então muitas pessoas optaram por fazer exercícios em casa no período de isolamento social mais rígido. Uma das saídas encontradas foi pular corda, atividade que pode ser integrada nos treinos das academias.

Mas será que esse exercício ajuda mesmo no processo de emagrecimento? O que é mito e o que é verdade nesse assunto? Conheça mais sobre a atividade e saiba quais cuidados tomar para praticá-la sem problemas para a saúde ao longo de 2021.

Pular corda auxilia no emagrecimento?

Pular corda ajuda no emagrecimento, uma vez que gasta muitas calorias. (Fonte: Shunevych Serhii/Shutterstock)

Verdade! Pular corda é considerado um exercício aeróbico, que, além de aumentar a frequência cardiorrespiratória e melhorar o condicionamento físico geral, promove queima calórica, por isso pode ser uma ótima aliada se seu objetivo for perder peso. 

Mas atenção: nenhuma atividade emagrece por si só. O que a corda faz é ajudar no déficit calórico, que é o que causa o emagrecimento.

Preciso cuidar da alimentação mesmo com um exercício caseiro como pular corda?

Verdade! Estima-se que 30 minutos de exercício sejam capazes de queimar 300 calorias, por isso é importante que profissionais de nutrição acompanhem a rotina alimentar considerando as atividades físicas praticadas. Isso é fundamental porque há uma série de erros comuns por parte de quem se exercita sem orientação, a exemplo da crença de que treinar em jejum colabora para o emagrecimento.

A corda é indicada pela facilidade do exercício

Mito! Embora seja uma atividade acessível do ponto de vista da estrutura, pular corda exige concentração, equilíbrio, agilidade e condicionamento físico. Além disso, como em outros exercícios, deve haver alguns cuidados no movimento, como olhar para frente, manter a postura ereta e contrair os músculos abdominais — isso otimiza o resultado. Já deu para ver que não é tão fácil assim, não é?

Qualquer pessoa pode pular corda

Se você decidir pular corda em um ritmo mais intenso e com frequência, é importante ter orientação profissional. (Fonte: Africa Studio/Shutterstock)

Mito! Se pular corda eventualmente, em uma brincadeira com as crianças, tudo bem, mas, como qualquer atividade aeróbica que exige performance cardíaca mais intensa, é importante que profissionais de medicina avaliem se não há contraindicações relacionadas ao exercício.

Outro fator a ser ponderado é que pular corda é uma atividade de impacto, portanto quem está bastante acima do peso ou já tem algum desgaste nas articulações dos membros inferiores ou da coluna precisa dar atenção a isso. Novamente, a liberação médica é importante.

Posso começar a pular corda em meu ritmo?

Superverdade! Profissionais de educação física recomendam que, no início, pule-se 1 minuto de corda e haja repouso por mais 1 minuto, pois isso permite que o corpo se acostume com a demanda cardiorrespiratória mais intensa. Além disso, é vital lembrar que mais importante do que a quantidade é a qualidade.

Comece dando mais atenção à forma como se exercita. Não dê pulos muito altos, mantenha a coluna ereta, contraia os músculos do abdômen, flexione levemente a perna e amorteça a queda com a ponta dos pés. 

Gostou das dicas? Com alguns cuidados simples e orientação correta, pular corda pode ser um hábito saudável, divertido e correto para os períodos mais duros da pandemia.