É arriscado fazer exercício ao ar livre durante a quarentena?

Por conta do isolamento social para evitar aumento de contágio do novo coronavírus, muitas pessoas se perguntam se é seguro fazer atividades físicas fora de casa

Mito ou verdade? 5 min. de leitura
É arriscado fazer exercício ao ar livre durante a quarentena?

O isolamento social proposto em diversas cidades brasileiras é uma iniciativa para tentar combater a propagação do novo coronavírus. A medida sugere que as pessoas fiquem em casa e só saiam em casos de extrema necessidade, como ir à farmácia ou ao supermercado. Porém, essa proposta tem cobrado um preço alto da saúde física e mental da população.

Longe das pessoas e de suas atividades rotineiras, muitos encontraram nas atividades ao ar livre uma forma de afastar as preocupações e as consequências negativas do isolamento. Contudo, a prática divide opiniões. Alguns acreditam que fazer exercícios fora de casa é se expor e aos outros a um risco desnecessário; outros defendem que não há problema, desde que respeitadas as orientações de distanciamento social.

O que as autoridades dizem?

Infelizmente, não existe um consenso com relação a recomendação ou proibição de prática de atividades físicas ao ar livre durante a quarentena. Isso se dá por conta da quantidade de contextos diferentes que podemos enfrentar. Praticar exercícios fora de casa pode parecer uma boa ideia e realmente ajuda a manter a saúde física e mental, mas aumenta o risco de exposição ao novo coronavírus.

A Sociedade Brasileira de Medicina do Exercício e do Esporte (SBMEE) recomenda a prática desde que ela não tenha sido proibida pelo Poder Executivo. No caso de São Paulo, por exemplo, a entidade considera que existe uma definição expressa: os 102 parques do estado estão fechados sob a justificativa de que estavam concentrando muitas pessoas.

O ex-Ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, recomendou exercícios ao ar livre quando a frente da pasta. “Quero sair para dar uma caminhada, estou com criança pequena, é importante tomar um pouco de sol, vitamina D”, disse ele em uma entrevista coletiva. Contudo, destaca a necessidade de se observar a quarentena e o distanciamento social fora dessas ocasiões e de se manter a uma distância segura.

A Organização Mundial de Saúde (OMS) também não tem uma orientação específica sobre o assunto. A área do site dedicada ao tema ressalta a importância de se manter ativo durante a pandemia e dá uma série de sugestões de como se exercitar dentro de casa, mas também orienta aqueles que “tiverem condições de sair para uma caminhada ou para andar de bicicleta” para que não se esqueçam de manter o distanciamento. Além disso, reforça a importância de lavar as mãos com água e sabão antes de sair, quando chegar ao local e assim que retornar para casa: “Se água e sabão não estiverem imediatamente disponíveis, use álcool em gel”.

Além dos cuidados para evitar a covid-19, o médico Jamal Suleiman, do Instituto de Infectologia Emílio Ribas, acrescenta a importância de evitar lesões associadas ao esporte ao ar livre. “A questão é se você sofrer um acidente e precisar de assistência médica. Se seu pai precisar de atendimento por causa da covid-19, o profissional de saúde tem que estar disponível para atendê-lo em vez de atender você”.

Distância mínima segura

grupo de pessoas correndo na rua
Qual é a distância mínima segura? (Fonte: Shutterstock)

Ao falar sobre atividades ao ar livre, uma dúvida comum pode surgir: qual é a distância mínima necessária a ser mantida das outras pessoas? Dois metros parece ser a recomendação de boa parte das autoridades, mas o que outros especialistas falam sobre o assunto? E como isso pode impactar a prática de exercícios físicos fora de casa?

De acordo com um estudo publicado por pesquisadores da Academia de Ciências Médicas Militares de Pequim (China), essa distância talvez tenha que ser maior. Foi constatado que o vírus pode ser detectado — embora não necessariamente com capacidade de infectar — a até 4 metros de pacientes com covid-19.

Outro estudo chegou à conclusão de que o patógeno pode permanecer no ar durante uma caminhada, corrida ou pedalada, criando uma espécie de “rastro” que se estende por até 5 metros. Ou seja, pode haver risco de contaminação quando pessoas estão caminhando, uma na frente da outra, se a distância for menor do que essa.

Afinal, é seguro?

mulher sentada ao ar livre
É arriscado fazer exercícios ao ar livre? (Fonte: Shutterstock)

Nem mesmo as autoridades conseguem se entender quando o assunto é a prática de exercícios físicos ao ar livre durante a quarentena. Entretanto, todas destacam um ponto importante: é preciso se cuidar e tomar todas as atitudes possíveis para evitar a contaminação e a propagação do novo coronavírus.

Se para você é possível praticar atividades físicas em casa, dê preferência a isso. Caso contrário, se você não tem muito espaço ou sente que precisa realmente respirar um ar “livre”, escolha fazer exercícios perto da sua residência e longe de outras pessoas, para evitar uma possível contaminação. Dessa forma, você estará se protegendo e protegendo os demais.

Não se esqueça de manter uma rotina rigorosa de higiene se for fazer exercícios ao ar livre, como não entrar de sapato em casa, trocar de roupa ao chegar e lavar as mãos. Além disso, procure sair em horários de menor movimento e sempre de máscara.

Como você tem lidado com a necessidade de fazer exercícios físicos durante a quarentena? O isolamento social tem atrapalhado as suas atividades? Compartilhe a sua opinião e envie este artigo para que outras pessoas também saibam o que fazer.

Gostou do assunto? Que tal compartilhar com seus amigos?