Quarentena: alimentos que fortalecem o sistema imunológico

Tão importante quanto não adoecer é permanecer com a imunidade alta

Comer bem! Viver bem! 4 min. de leitura
Quarentena: alimentos que fortalecem o sistema imunológico

Quando nos perguntamos por qual motivo nem todas as pessoas que são infectadas com o novo coronavírus apresentam sintomas, a resposta é que o sistema imunológico delas é capaz de “neutralizar” o vírus. Tanto isso é verdade que uma pesquisa publicada na revista científica Nature na segunda quinzena de março conseguiu identificar quatro tipos de células imunológicas lutando contra o vírus. A descoberta, feita por um grupo de pesquisadores da Austrália, provou uma coisa: nosso sistema imune é nossa mais poderosa forma de defesa.

Esse sistema é formado por células específicas que combatem agentes estranhos ao corpo, e existem muitos nutrientes, vitaminas e minerais que fornecem o “combustível” necessário para o seu melhor funcionamento. E a boa notícia é que a maioria deles pode ser encontrada facilmente nos alimentos, em uma dieta saudável e bem equilibrada.

No IGTV, conversamos com uma nutricionista sobre o assunto, confira:

Turbinando o sistema imunológico

Procure ver o sistema imunológico não como um escudo automático, mas como um muro que vai sendo construído aos poucos. Com semanas e meses de bons hábitos alimentares é possível assegurar uma barreira eficiente e confiável.

Frutas cítricas

mão espremendo laranja
(Fonte: Giphy)

Laranja, limão, tangerina, abacaxi e acerola são fontes importantes de vitamina C, um nutriente que aumenta a quantidade de anticorpos no sangue, principalmente os linfócitos (células brancas), motivo de associarmos essa substância ao combate a gripes e resfriados.

Formadora de colágeno e antioxidante, a vitamina C é fotossensível, ou seja, perde suas propriedades quando exposta à luz; portanto, a fruta deve ser consumida imediatamente após aberta.

Cúrcuma

Também conhecida como açafrão-da-terra, turmérico ou raiz-de-sol, a cúrcuma é utilizada, comumente no preparo de molhos na cozinha indiana. Essa especiaria é um fortalecedor natural do sistema imunológico graças à curcumina, princípio ativo com ações antiviral, antifúngica e anti-inflamatória.

Iogurte

policial falando que ama iogurt
(Fonte: Giphy)

Muitos pesquisadores têm estudado os efeitos terapêuticos e preventivos do iogurte em sua versão natural, feita de leite e lactobacilos. Talvez a maior fonte natural de probióticos (as chamadas “bactérias do bem”), o alimento tem demonstrado um efeito imune-estimulatório positivo no auxílio ao tratamento de diversas doenças.

Alho

Um dos ingredientes mais populares em todas as cozinhas do mundo, o alho já era reconhecido no Egito Antigo como um potente antifúngico e anti-inflamatório natural. Pesquisas científicas apontam esse bulbo como redutor de pressão arterial e desacelerador do processo de endurecimento das artérias.

Vegetais folhosos verde-escuros

Se fossem dinheiro, as “verdinhas” couve, chicória, espinafre e brócolis seriam as moedas mais valiosas no mercado da imunidade. Além de fonte de fibras, que ajudam no funcionamento do intestino e da microbiota intestinal, esses alimentos acrescentam ao nosso organismo substâncias como potássio, ácido fólico, magnésio e a vitamina K, um coagulante natural.

Mamão

desenho animado mamão tocando violão
(Fonte: Giphy)

Delicioso no café da manhã, o mamão é muito mais do que uma fruta para saciar a fome. Muitos o consideram a ferramenta mais poderosa para as pessoas que buscam um corpo saudável, pois é fonte de sais minerais que participam da formação dos ossos e músculos. Tem propriedades laxativas, calmantes e é fonte de licopeno, um poderoso antioxidante que repara os danos causados pelos radicais livres às nossas células.

Castanha do Pará

Assim como a maioria das amêndoas, a Castanha do Pará é riquíssima em antioxidantes, como o selênio e a vitamina E; importantes na neutralização dos radicais livres, essas moléculas irritantes são responsáveis por acelerar o processo de envelhecimento e o desenvolvimento de doenças degenerativas. Mas o consumo diário de amêndoas deve se limitar aos 35 gramas por dia, por serem muito calóricas.

Finalmente, não se deve esquecer de adicionar pelo menos 1,5 litro de água à dieta. Experimente, saboreie. Depois compartilhe essas dicas com a família. Saúde!

Fonte: Sakal Times, Uol/Viva Bem e Nature.