Quais alimentos devemos evitar durante a quarentena?

Conversamos com a nutricionista Jessyca Picoli sobre a relação entre a ansiedade e os hábitos alimentares

Comer bem! Viver bem! 5 min. de leitura
Quais alimentos devemos evitar durante a quarentena?

Um dos aspectos mais afetados pela quarentena é a alimentação. Confinadas em suas casas, livres de muitas convenções sociais, porém sujeitas a pressões inéditas, muitas pessoas às vezes buscam “descontar” a ansiedade em comidas e bebidas pouco saudáveis, ou mesmo prejudiciais à saúde.

Porém, essa relação pode e deve ser diferente. Conversamos com Jessyca Picoli (CRN 919946) — graduada em Nutrição pela Universidade Federal de Juiz de Fora e com pós-graduação em Nutrição Clínica Funcional — sobre como a relação da população com a comida tem tudo para gerar escolhas saudáveis e capazes de ter efeito direto (e positivo) nos sintomas da ansiedade. Veja a seguir o que a especialista disse.

Quando se fala em isolamento social, nota-se também um incremento nos níveis de ansiedade e depressão. É possível, na situação que vivemos, uma dieta que realmente proteja a mente?

As mudanças causadas em nossa rotina devido à pandemia da covid-19 e a pressão em nosso lado psicológico e emocional estimulam o nosso organismo a produzir cortisol em excesso, o hormônio do estresse. Com o aumento do cortisol, os níveis de noradrenalina em nosso sistema nervoso central também são aumentados, agravando alguns transtornos de ansiedade. Estimulando a liberação do neurotransmissor GABA e estimulando a produção de serotonina, podemos ajudar a combater os níveis de ansiedade e estresse. 

Alimentos ricos em triptofano, complexo B, magnésio, flavonoides e carboidratos estimulam a produção desses neurotransmissores. Alguns exemplos: feijões, lentilha, grão de bico, abacate (ótimo para ajudar na modulação dos níveis de cortisol), castanhas, peixe, azeite de oliva extra virgem, cúrcuma e cacau.                           

avocado GIF by Make it Move
Abacate: ajuda na modulação dos níveis de cortisol. (Fonte: Giphy)

Com vistas na redução do estresse, existe algum alimento “proibido” durante a quarentena?

Não gosto de falar em alimentos “proibidos”. Prefiro falar em hábitos alimentares prejudiciais, ou seja, comidas consumidas de forma inadequada, seja no preparo ou na quantidade. No caso da quarentena, evitar ao máximo consumir os ultraprocessados e industrializados, pois são pobres em nutrientes e ricos em açúcar, gorduras e sódio. Devemos evitar refrigerantes, sucos de caixinha, margarina, biscoitos e embutidos em geral. Esses alimentos roubam energia do organismo e colaboram para crises depressivas.

Fala-se muito na relação entre alimentação e sistema imunológico, um elemento fundamental atualmente. Existem alimentos capazes de “turbinar” o nosso sistema imunológico? E há aqueles capazes de enfraquecê-lo?

É importante dizer que não existe nenhum alimento capaz de combater o novo coronavírus. No entanto, existem alguns estudos em relação a nutrientes que ajudam no fortalecimento do sistema imune, alguns deles estão presentes: no alho (tempero, preparações ou azeite); no própolis (10 a 15 gotas por dia);no gengibre; no orégano; nos alimentos ricos em zinco, como peixes, semente de abóbora e castanhas. Quanto aos alimentos que enfraquecem esse sistema, são todos o que citei como ladrões de energia.

alimentos ricos vitamina C
Nutrientes ajudam o sistema imunológico a ficar forte. (Fonte: Shutterstock)

Como fica a dieta das pessoas acostumadas a fazer exercícios físicos nas academias e que, com o isolamento social, tiveram uma queda na prática dessas atividades?

Assim como a alimentação saudável, a prática de exercícios é um hábito. Pessoas já acostumadas a isso vão utilizar os canais disponibilizados por academias na internet para ajudar a manter seus treinos. Porém a intensidade dos movimentos praticados em casa não é a mesma das academias, o que não demanda uma dieta tão focada na manutenção da forma, mas sim na imunidade, que é o que o corpo requer neste momento.

Com a redução das idas aos supermercados, quais são os alimentos que devemos comprar para montar lanches rápidos e saudáveis?

O ideal é investir em alimentos de maior durabilidade, como grãos e sementes, que são também uma estratégia mais saudável para se agregar à alimentação (amaranto, quinoa, aveia, linhaça, semente de abóbora, chia, semente de girassol). Lanches rápidos podem ser feitos com frutas, mix de oleaginosas, barrinhas de cereais, queijo branco, requeijão light (com pão integral ou torradas), iogurte e sanduíche naturais, entre outros.

colheres com sementes
Sementes: complementam uma alimentação saudável. (Fonte: Shutterstock)

Já riscou da sua lista de supermercado os alimentos que não fazem bem na quarentena? Então, compartilhe esse texto com quem você sabe que está sobrevivendo à base de bolacha recheada e fast-food.

Gostou do assunto? Que tal compartilhar com seus amigos?